10 maneiras de ajudar as crianças a aproveitar bem sua infância

  • É muito comum encontrarmos pessoas que afirmam “infância boa mesmo foi nos anos 80 e 90”. Mas, o que teve de tão bom naquela época que nossas crianças de hoje em dia estão perdendo? O mais importante, o que os adultos estão fazendo para que as crianças consigam viver uma boa infância hoje, como aquela de antigamente? Qual é o tipo de realidade oferecida para elas?Brincar é a principal fonte de aprendizagem para as crianças. Certamente era isso que elas faziam há 20 anos. Desde bem pequenos, ainda bebês, é assim que começam a descobrir o mundo. Texturas, formas, cores. Tudo é novidade. É na diversão de montar e desmontar algo que a criança adquire habilidade motora e de raciocínio, por exemplo.Deixar brincar é a palavra chave para a infância. Porque ela passa correndo. Ainda mais nesses tempos atuais, onde tudo precisa ser marcado para não deixar de acontecer. Os dias, semanas e meses voam, quando você se dá conta o ano passou e, o prometido piquenique no parque, não saiu da folha de planejamento.Veja algumas ideias para uma infância divertida e proveitosa:
  • 1. Deixar brincar

    Com brinquedos, bolinhas de papel, caixa de papelão, bola. Tudo o que puder se transformar em brincadeira. São nesses momentos onde a criatividade está mais aguçada e a imaginação vai a mil. É só parar por uns minutos para ver seu filho brincando que você notara quantas coisas ele tem aprendido nos últimos tempos: palavras novas, cores, formatos. Tudo vai se misturando nas histórias que inventam.

  • 2. Não ter uma agenda lotada de atividades

    Aulas de inglês, alemão, chinês, futebol, artes marciais, balé, natação, reforço da escola. Dá para cansar só em pensar como é a rotina de algumas crianças. A infância mesmo ficou lá, em algum lugar do passado. A pobre criança não tem tempo de aproveitar os anos sem compromisso por ter uma agenda abarrotada de afazeres.

  • 3. Ter um bicho de estimação

    Não importa qual seja o bichinho: gato, cachorro, peixe, coelho, passarinho. Eles ajudam a criar laços de carinho, responsabilidade e garantem momentos de alegria.

  • 4. Passar um tempo na rua

    Se possível todos os dias. Deveria ser lei todas as crianças terem uma casa com quintal para brincar de bicicleta, de fazendinha, de fazer bolo de terra, estradinhas na areia, para correr até cansar. Certamente o número de crianças hiperativas iria diminuir, pois gastariam toda a sua energia descobrindo um mundo novo, na rua, sujos de barro e grama.

  • 5. Ensinar música

    A musicalidade nas crianças é algo impressionante. Não tem criança que não pare o que esteja fazendo para dançar ou observar alguém tocando um violão, por exemplo. Não existe momento melhor da vida para fazê-los tomarem gosto por algum instrumento musical do que na infância.

  • 6. Brincadeiras manuais

    Massinha, tinta, colagem, recorte, pintura. Todos esses exemplos são certeiros para algumas horas de diversão. Se seu filho está muito agitado, essas atividades podem ajudar a trazer mais calma para casa. Depois dá até para fazer uma exposição com todos os trabalhamos feitos por ele.

  • 7. Ter amigos

    Um grupo de amigos faz toda a diferença. Mas, amigos de verdade, não virtuais. Para brincar de bola, de carrinho, de boneca, conversar e correr pela casa. Amigos de infância fazem a vida ser mais colorida e também fará seu filho ter boas lembranças da época de criança.

  • 8. Se sentir protegida

    É importante para as crianças saberem que os pais ou responsáveis sempre estarão por perto quando precisarem. Elas começam a entender isso percebendo que existe alguém que se preocupa em dar comida a ela, em agasalhá-la quando está frio, que a socorre depois de uma queda, que há um abraço apertado para consolar a frustração de brinquedo quebrado. É triste pensar que existem pequenos que não vivenciam esses momentos.

  • 9. Conviver com a família

    Pai, mãe, irmão, cachorro, papagaio, primos, avós, tios… É receita certeira de infância feliz e bem aproveitada, cheia de histórias hilárias e doces lembranças.

  • 10. Limitar as tecnologias

    Parece que as crianças de hoje em dia já nascem conectadas. Smartphones, tablets, jogos, computadores, tudo de uma vez só, e o pior, sem limite. Aí temos a obesidade infantil saltando aos nossos olhos diariamente pelo sedentarismo e crianças e adolescentes que não sabem conviver com outros, porque não conseguem desgrudar do celular. Andam como se fossem zumbis, guiados por uma telinha brilhante.

    Essa tecnologia é algo do tempo deles, não dá para proibir, mas precisa ser monitorada e limitada. Caso contrário, essas crianças estarão ou, em alguns casos já estão, sujeitas a viver uma infância de mentira, com amigos e brincadeiras virtuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *